quinta-feira, 12 de abril de 2018

OFICINAS DE LEITURAS, DEBATES, PALESTRAS E VISITAS TÉCNICAS




1 - A “uberização” e as encruzilhadas do mundo do trabalho
Data: Terça-feira, 10 de outubro de 2017
Fonte:http://www.ihuonline.unisinos.br/media/pdf/IHUOnlineEdicao503.pdf

2 - Maquiavel e as milicias no Rio
Data: Terça-feira, 14 de novembro de 2017
Fonte: dissertação http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUBD-A96G3Q/mil_cia_e_vida_c_vica_no_pensamento_de_maquiavel.pdf?sequence=1

3 - Próxima atividade. Debate: “Síria em Fuga”
Data: Terça-feira, 28 de novembro de 2017
Documentário: https://www.youtube.com/watch?v=MdE4vujvz6c

4 - Visita técnica. IPI. Instituto dos Pretos Novos.
Data: Sábado, 04 de dezembro de 2017, das 11 as 14h
Fonte:http://pretosnovos.com.br/
Endereço: Rua Pedro Ernestro, 32 - Gamboa. Rio de Janeiro – RJ. CEP: 20.220-350
E-Mail: pretosnovos@pretosnovos.com.br -  Telefone: (21) 2516-7089

5 - OFICINA DE LEITURA. POR ONDE ANDA A GLOBALIZAÇÃO?
“POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO: DO PENSAMENTO ÚNICO À CONSCIÊNCIA UNIVERSAL” DE MILTON SANTOS
Data: 4a. feira dia 28 de abrild e 2018
Fonte: http://www.culturasjuridicas.uff.br/index.php/rcj/article/view/464/182

6 - OFICINA DE LEITURA. FEMINICÍDIO E VIOLÊNCIAS CONTRA A MULHER
POR QUÉ LA MASCULINIDAD SE TRANSFORMA EN VIOLÊNCIA DE GÉNERO.
Data: . 4ª. Feira 11 de abril de 2018
Fonte: Site: http://www.lavoz.com.ar/ciudadanos/por-que-la-masculinidad-se-transforma-en-violencia

7 - OFICINA DE LEITURA. O NOVO PAPEL DOS EUA NO MUNDO.
ARTIGO: A NOVA ESTRATÉGIA AMERICANA.
AUTOR: JOSÉ LUIS FIORI.  Professor de Economia Política Internacional da UFRJ
Domingo, 4 de março de 2018. Caderno Opinião, pág. 11
http://www.jb.com.br/media/jornaldigital/pdfs/JB_0403.pdf

8 - OFICINA DE LEITURA. O NOVO SISTEMA TRUMP?
JORNAL EL PAIS.  22 DE JANEIRO DE 2017.
TRUMP Y EL SISTEMA. AUTOR: PABLO GENTILI
Fonte: https://elpais.com/elpais/2017/01/22/contrapuntos/1485066672_148506.html



quarta-feira, 11 de abril de 2018

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Antigos exercícios e casos concretos para conhecimento geral

Leia o diálogo a seguir. 
- Hoje o sol está de rachar! - É verdade! Como pode uma bola de fogo menor que a Terra, que fica girando em volta da gente, fazer tanto calor? - Que nada, homem! A Terra é menor do que o sol! É por isso que faz tanto calor! A Ciência, recorrentemente, se defronta com raciocínios desse tipo, relacionado a falsas certezas. Demonstre as principais diferenças entre o pensamento científico e o senso comum e apresente, pelo menos, dois outros exemplos de convicções equivocadas decorrentes da utilização do senso comum e refutadas pela ciência. Questão de múltipla escolha: ?Foram os gregos que, rompendo com o senso comum, com a tradição e o misticismo, desenvolveram uma reflexão laica e independente, própria do espírito especulativo, que se debruçava sobre o mundo procurando entendê-lo em sua objetividade? (Cristina Costa. Sociologia. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2005). Esse conhecimento, denominado filosófico, tem como importante característica: A) A busca do entendimento do mundo por meio da separação entre as esferas do sagrado e do profano. B) A compreensão do mundo por meio do aprendizado acumulado de gerações anteriores. C) A busca da comprovação das relações de causa e efeito entre os fenômenos observados. D) A tentativa de explicar a realidade a partir de narrativas mitológicas. E) A contínua busca do conhecimento por meio do questionamento, da reflexão. Procedimentos de Ensino A primeira aula deve se iniciar com a apresentação do Plano de Ensino da disciplina, que serve de roteiro para a mesma. A contextualização tem papel importante no convencimento do estudante quanto à essencialidade da disciplina para sua vida acadêmica. É essencial explicar aos alunos a metodologia do Modelo de Ensino, enfatizando a necessidade de que se preparem para as aulas, lendo o Plano de Aula e o Livro Didático nas páginas indicadas, antes de cada aula. As questões propostas no Plano de Aula e no Livro também devem ser resolvidas após a leitura e antes das aulas, com seu resultado postado na webaula. É importante explicar que a pesquisa prévia sobre os temas objeto do estudo da semana, prepara para os debates em sala de aula. Sendo que, após a discussão e solução dos exercícios em sala de aula, com o professor, o aluno deverá aperfeiçoar o seu trabalho. O conteúdo da primeira aula pode ser trabalhado de forma interativa, a partir dos conhecimentos p révios dos alunos, para estabelecimento das distinções entre ciência e senso comum. O Livro Didático de Fundamentos das Ciências Sociais deve ser utilizado nas aulas, para desenvolvimento da competência leitora, de repertório no uso da norma culta da língua, das habilidades de compreensão e interpretação de textos acadêmicos, bem como para a criação do hábito de estudo. Recursos Físicos Quadro e pincel, data show, Livro Didático, pesquisa em artigos de jornais, revistas e na internet. Avaliação Padrão sugestivo de resposta dos exercícios da aula: Questão discursiva: (i) O conhecimento de senso comum é um tipo de conhecimento espontâneo, pois seu aprendizado é passado de geração a geração ao longo dos tempos. Ele se organiza a partir da necessidade do ho mem de enfrentar os desafios cotidianos. O conhecimento científico se distingue de outras formas de saber porque suas formulações são sistemáticas, baseadas em fatos verificáveis e controláveis através de experiências, chegando, por isso, a conclusões gerais e objetivas. Ele se constitui a partir do estabelecimento de métodos rigorosos de investigação e de um recorte específico de um objeto de estudo. (ii) O aluno deverá apresentar, com clareza e precisão, dois exemplos que demonstrem equivocadas concepções da realidade produzidas pelo senso comum e contestadas pela ciência. Questão de múltipla escolha: letra E, porque o pensamento filosófico baseia-se na reflexão contínua buscando o conhecimento por meio de abstrações (essência, substância, existência etc.). Esse pensamento orienta a atividade prática e intelectual dos homens. As sugestões de gabarito dos exercícios do Livro Didático encontram -se na SEMANA 15, neste item.


2

Aplicação Prática Teórica Questão discursiva: Roberto da Matta, célebre antropólogo brasileiro, mostra que os fenômenos que compõem a matéria prima das Ciências Sociais são complexos. Explique por que razão existe essa complexidade. Questão de múltipla escolha: As Ciências Sociais compreendem o conjunto de saberes relativos às áreas da Antropologia, da Sociologia e da Ciência Política. A Antropologia tem como principal preocupação a análise: A) Dos aspectos culturais da sociedade, como costumes e crenças de diferentes grupos sociais. B) Dos mecanismos de criação e legitimação do poder. C) Das relações estabelecidas entre os diversos fenômenos sociais D) Das relações econômicas que se estabelecem entre os Estados Nacionais. E) Das concepções filosóficas dominantes em determinada sociedade.

Questão discursiva: Os fenômenos sociais são complexos porque, embora observados, não podem ser reproduzidos e, por haver uma interação entre sujeito e objeto da pesquisa (ambos pertencem à Humanidade), deve ser considerado o contexto em que o fenômeno ocorre. Espera-se que o aluno demonstre a impossibilidade da reprodução dos fenômenos sociais, e a necessidade de uma interpretação contextualizada desses fenômenos. Questão de múltipla escolha: letra A, porque é a Antropologia que estuda as diferentes cu lturas humanas, os diversos grupos sociais, culturais e étnicos e as transformações decorrentes da interação entres os diferentes grupos sociais. As sugestões de gabarito dos exercícios do Livro Didático encontram -se na SEMANA 15, neste item


3

Questão discursiva: Leia o texto abaixo e responda as questões propostas: Em 1883, Franz Boas foi estudar os esquimós e passou um tempo convivendo com eles. O autor fez as seguintes observações no seu diário: "Frequentemente me pergunto que vantagens nossa "boa sociedade" possui sobre aquela dos "selvagens" e descubro, quanto mais vejo de seus costumes, que não temos o direito de olhá -los de cima para baixo. Onde, entre nosso povo, poder-se-ia encontrar hospitalidade tão verdadeira quanto aqui ... Nós, "pessoas altamente educadas", somos muito piores relativamente falando ... Creio que, essa viagem tem para mim uma influência valiosa, ela reside no fortalecimento do ponto de vista da relatividade de toda formação (...)" (Trecho extraído do livro Antropologia cultural/Franz Boas. Celso Castro (org). Rio de Janeiro:Jorge Zahar Editor, 2004). (i) Identifique e explique que método antropológico foi utilizado pelo autor em sua pesquisa? (ii) Elabore uma análise sobre relativismo cultural a partir das observações feitas por Franz Boas. Questão de múltipla escolha: O criminoso nato seria caracterizado por uma cabeça com pronunciada assimetria craniana, fronte baixa e fugidia, orelhas em forma de asa, zigomas, lóbulos occipitais e arcadas superciliares salientes, maxilares proeminentes (prognatismo), face longa e larga, apesar do crânio pequeno, cabelos abundantes, mas barba escassa, rosto pálido". (Cesare Lombroso, psiquiatra italiano.) A descrição acima evidencia um tipo de pensamento típico do século XIX, no qual características biológicas (fenotípicas, somatológicas) determinariam comportamentos sociais. Como ficou conhecido, na Antropologia, esse tipo de pensamento? A) Determinismo social B) Determinismo geográfico C) Determinismo biográfico D) Determinismo biológico E) Determinismo cultural.

Padrão sugestivo de resposta dos exercícios da aula: Questão discursiva: (i) A etnografia, método em que o pesquisador vai até o local (o campo de estudo) e investiga os costumes culturais, as regras, as relações que se estabelecem naquela sociedade que deseja aprender. (ii) O autor faz uso do relativismo cultural, ao procurar compreender a lógica da vida do outro e valoriza a diversidade cultural, a diferença. Não hierarquiza as formas de vida, percebendo que as noções de ?selvagem? e ?civilizado? são relativas, dependem do ponto de vista do observador. Questão de múltipla escolha: letra D. O determinismo biológico consiste na definição de cultura com base em determinações biológicas. Tal postura é equivocada porque se os padrões culturais fossem geneticamente determinados, todas as sociedades agiriam da mesma forma diante das mesma s situações.


4

Questão discursiva: Leia o texto abaixo e responda as questões propostas: Em plena Nova York surge um Capitão-América diferente: Seu nome é Vishavjit Singh. Ele é praticante do Siquismo, uma religião indiana e uma das características dos sikhs (os praticantes dessa religião) é o uso do turbante. Vestido de Capitão América e usando um turbante azul na cabeça ele diz: ?Quero desafiar as percepções das pessoas, elas tomam um choque quando me veem. ? Singh é um engenheiro de software pela manhã e um cartunista apaixonado à noite. Em suas histórias em quadrinhos, que ele expõe em um site da internet chamado SIKHTOONS.COM, ele já havia inventado o super-herói de turbante. Seus cartoons descrevem como é a vida dos sikhs nos Estados Unidos, enfocando o patriotismo que ele sente pelo país em que nasceu (ele é americano) e o orgulho pela religião a qual pertence. Vishavjit criou o personagem do Capitão-América de turbante juntado os aspectos culturais das sociedades americana e indiana, para assim lutar contra a intolerância. Diz ele: "Eu percebi que eu tinha que desenhar algo novo e o novo filme Capitão América me deu uma ideia. Que tal um super-herói que tem uma barba e um turbante e que luta contra a intolerância?" Confundido com sendo um muçulmano e alvo de intolerância, Vishavjit resolveu desafiar as pessoas e dar um passo além: não só desenhou como se vestiu com as roupas de seu personagem. ?Quando eu coloquei a fantasia pela primeira vez, foi um dos dias mais incríveis da minha vida, foi como se um interruptor tivesse sido ligado, estranhos estavam me abraçando, policiais me pediam fotos, eu estava sendo arrastado para casamentos". Texto traduzido e adaptado de http://www.bbc.com/news/magazine-30941638 (01/2015) e http://www.huffpostbrasil.com/entry/red-white-and-... (01/2015) A matéria acima retrata as contradições de um fenômeno contemporâneo chamado multiculturalismo. (I) Em que consiste esse fenômeno? (II) Apresente, justificadamente, exemplos de ações na sociedade contemporânea em que se verifique a valorização da diversidade cultural. Questão de múltipla escolha: Leia o artigo transcrito da Constituição da República Federal: "Art. 215. O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais. §1° O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional." (BRASIL. Constituição [1988]. Constituição da República Federativa do Brasil. 31. ed. São Paulo: Saraiva, 2003. p. 134.) É correto afirmar que no artigo transcrito a Constituição Federal: A) Impõe restrições para o exercício da interculturalidade. B) Propõe um modelo para apresentação de projetos culturais. C) Orienta o processo de homogeneização e padronização cultural. D) Estimula o investimento estatal que visa evitar o hibridismo cultural. E) Reconhece a existência da diversidade cultural e da pluralidade étnica no país.

Questão discursiva: (I) O multiculturalismo baseia-se no reconhecimento das diferenças como algo positivo, na convivência de diversas culturas em uma sociedade sem hierarquização delas. (II) Podemos citar políticas públicas de inclusão de setores que historicamente foram tratados de maneira desigual, como a adoção de cotas raciais nas universidades, o reconhecimento das uniões homoafetivas, a valorização da cultura indígena etc. Questão de múltipla escolha: letra E. Como se percebe no enunciado, ao valorizar e proteger as diferentes culturas formadoras da nacionalidade brasileira (indígenas, afro-brasileiros, cultura popular), a Constituição de 1988 enfatiza seu caráter multicultural.


5

Questão discursiva: "Considerei a existência de Deus e decidi que há uma boa chance de que ele exista. Se ele realmente existir, deve estar trabalhando em um plano. Portanto, se devo servir a Deus, preciso descobrir o plano e fazer o melhor possível para ajudá-lo em sua execução. Como descobrir o plano? Primeiramente, procurar a raça que Deus escolheu para ser o instrumento divino da futura evolução. Inquestionavelmente, é a raça branca? Devotarei o restante de minha vida ao propósito de Deus e a ajudá-lo a tornar o mundo inglês." (Cecil Rhodes, colonizador britânico). O texto acima evidencia uma forma de pensamento e uma visão de mundo dos europeus típica do século XIX. Indaga-se: (i) Como eram vistas as sociedades não europeias com as quais os europeus entraram em contato a partir do neocolonialismo no século XIX? Justifique sua resposta. (ii) Qual a forma de pensamento embasava essa visão, e que papel esse tipo de pensamento exerceu no contexto em que foi utilizado? Questão de múltipla escolha: (Adaptada de Unicentro 2012) Considerando-se as grandes mudanças que ocorreram na história da humanidade, aquelas que aconteceram no século XVIII e que se estenderam no século XIX só foram superadas pelas grandes transformações do final do século XX. As mudanças provocadas pela revolução científico-tecnológica, que denominamos Revolução Industrial, marcaram profundamente a organização social, alterando -a por completo, criando novas formas de organização e causando modificações culturais duradouras, que perduram até os dias atuais. ( DIAS, Reinaldo. Introdução à sociologia. São Paulo: Persons Prentice Hall, 2004). Sobre o surgimento da Sociologia e as mudanças ocorridas na modernidade, é correto afirmar: A) A intensificação da economia agrária em larga escala nas metrópoles gerou o êxodo para o campo. B) O aparecimento das fábricas e o seu desenvolvimento levaram ao crescimento das cidades rurais. C) O aumento do trabalho humano nas fábricas ocasionou a diminuição da divisão do trabalho. D) A agricultura familiar desse período foi o objeto de estudo que fez surgir as ciências sociais. E) A antiga forma de ver o mundo não podia mais solucionar os novos problemas sociais.

Questão discursiva: (I) Eram vistas como "inferiores", "selvagens", desprovidas de desenvolvimento e civilidade e marcadas pelo atraso e pela barbárie. (II) Darwinismo social, que defendia a ideia de uma superioridade "natural" dos povos europeus sobre os outros, justificando, assim, a intervenção europeia nesses países, com vistas a levar a "missão civilizadora", eufemismo utilizado para mascarar a conquista e a dominação. Questão de múltipla escolha: letra E, As transformações econômicas, sociais e políticas por que passou a Europa entre os séculos XVIII e XIX, marcados pela Revolução Francesa e Revolução Industrial, trouxeram consigo a destruição da antiga ordem feudal e a consolidação do capitalismo, que colocou e evidência os mais diversos problemas da nova estrutura social, levando vários pensadores a refletir sobre ela e buscar soluções para a resolução desses


6

Questão discursiva: O conhecimento científico opõe-se ao senso comum e seu ideal está baseado na concepção segundo a qual a ciência é uma representação da realidade tal como ela é em si mesma. Acredita-se, portanto, em uma objetividade, isto é, um conhecimento que procura as estruturas universais e necessárias das coisas investigadas. Nesse sentido, a corrente positivista comteana buscou relacionar as ciências naturais com a Sociologia emergente do século XIX, com o propósito de legitimar definitivamente a Sociologia como ciência. Tendo como norte esta perspectiva: (I) Explique como Comte concebeu a ciência da sociedade. (II) De acordo com a Lei dos Três Estados aponte as fases pelas quais podem passar as sociedades humanas, descrevendo suas características principais. Questão de múltipla escolha: De acordo com Auguste Comte existem dois movimentos sociais responsáveis pela evolução da sociedade. Um deles é responsável pela conservação e preservação da organização social e o outro pelas transformações e mudança da estrutura social. Esses dois movimentos correspondem, respectivamente à: A) Dinâmica social e igualdade social B) Ordem social e estática social C) Estática social e dinâmica social D) Dinâmica social e revolução social E) Dinâmica social e estática social.

Questão discursiva: (I) Comte definiu a Sociologia ou Filosofia Positiva como uma física social, ciência que toma os modelos da biologia e explica a sociedade como um organismo coletivo. Desta forma, acreditava que os conhecimentos e métodos utilizados pelos cientistas naturais também eram válidos para explicar e interferir nos fenômenos sociais. (II) Comte acreditava que a Humanidade passou por três estágios de desenvolvimento intelectual: o teológico, o metafísico e o positivo. No primeiro estágio, o universo era expl icado em termos de deuses, demônios e seres mitológicos. No segundo estágio, a realidade era explicada em termos de abstrações como a essência, existência, substância e acidente. No último estágio, explicações somente poderiam ser baseadas em leis científicas descobertas através da experimentação, observação ou lógica. Questão de múltipla escolha: letra C, Comte distingue a sociologia estática da sociologia dinâmica. A primeira estuda as condições gerais de toda a vida social, considerada em si mesma, em qualquer tempo e lugar. A sociologia dinâmica estuda as condições da evolução da sociedade: do estado teológico ao estado positivo na ordem intelectual, do estado militar ao industrial na ordem prática - do estado de egoísmo ao de altruísmo na ordem afetiva.


7

Questão discursiva: Émile Durkheim procurou definir o objeto de sua sociologia. Em seguida procurou estabelecer certas distinções entre fenômenos normais e fenômenos tidos como patológicos. Nesse sentido, leia atentamente o texto abaixo e responda as questões propostas. A corrupção nossa de cada dia (El País/Brasil, 04/12/2013) No Brasil, basta um escândalo estampar as manchetes dos jornais para que os comentaristas de plantão vociferem palavras de ordem na internet em que exigem, até, a pena de morte para os corruptores. Mas esses mesmos gritos raivosos aceitam, pacificamente, os pequenos crimes que eles próprios e muitos conhecidos praticam no dia a dia, sem nem mesmo perceber que o “jeitinho” do cotidiano também é uma forma de corrupção. Na última semana, um cartaz colado em um muro de uma grande avenida de São Paulo perguntava aos passantes: “Habilitação suspensa?”. O anúncio, que desrespeitava a lei Cidade Limpa, legislação municipal que proíbe a colocação de cartazes em locais públicos, trazia um número de telefone e oferecia um serviço: dar um “jeitinho” nos pontos obtidos na carteira de motoristas que tiveram suas licenças para dirigir retiradas por causa do excesso de multas recebidas no trânsito. O trabalho poderia aliviar a barra de pessoas que dirigiram acima do limite de velocidade, andaram “só por alguns minutos” na faixa exclusiva de ônibus ou que beberam além dos limites permitidos antes de assumir o volante. Tudo justificado pelos receptores da multa com argumentos como a pressa e a falta de transporte público barato e de qualidade durante as madrugadas. Muitas dessas pessoas, inclusive, podem até ter comprado a carteira de motorista, pagando uma propina para que o fiscal que realiza a prova prática ajudasse na tarefa. O “jeitinho” brasileiro se estende para além do trânsito. Em pleno centro de São Paulo, a maior cidade do país, é possível comprar diplomas falsos que permitem a participação em concursos públicos e, ma is comum ainda, atestados médicos, para justificar ausências mais prolongadas no trabalho. Também é possível, sem nem mesmo sair de casa, “roubar” o sinal da TV à cabo do vizinho, sem que ele saiba, ou comprar um aparelho decodificador de sinal pela própria internet e usá-lo para sempre sem ter que pagar mensalidade às operadoras, que, afinal, “cobram muito caro”. A prática é tão institucionalizada que tem até nome: “o gato net”. Mas a corrupção diária pode ser ainda mais grave. A previdência social, uma das áreas mais afetadas pelo “jeitinho”, descobriu, apenas em 2013, 56 fraudes que causaram um prejuízo de 82 milhões de reais aos cofres públicos, afirma o Ministério da Previdência Social. O dinheiro estava sendo destinado para pessoas que passaram a receber benefícios depois de apresentarem documentos falsos, como atestados médicos ou comprovantes de união estável.Há ainda casos que não são facilmente descobertos porque, tecnicamente, são difíceis de serem configurados como crime. Como o de mulheres, casadas aos olhos de vizinhos e amigos, mas que não oficializaram suas relações para não perderem a pensão vitalícia a que têm direito depois do falecimento do pai, funcionário público. Ao casarem -se oficialmente, o benefício é cortado. Há também o caso das “viúvas negras”: aquelas que, de comum acordo com os futuros “maridos”, casam-se com homens muito mais velhos, sem filhos, apenas para conseguir receber uma pensão quando esses homens morrerem. I. Qual seria para Durkheim o objeto de estudo evidenciado no texto? Justifique dentro da postura metodológica proposta pelo autor. II. O fato tratado no texto é normal ou patológico? Justifique. Questão de múltipla escolha: (UEL/2009) Um jovem que havia ingressado recentemente na universidade foi convidado para uma festa de recepção de calouros. No convite distribuído pelos veteranos não havia informação sobre o traje apropriado para a festa. O calouro, imaginando que a festa seria formal, compareceu vestid o com traje social. Ao entrar na festa, em que todos estavam trajando roupas esportivas, causou estranheza, provocando risos, cochichos com comentários maldosos, olhares de espanto e de admiração. O calouro não estava vestido de acordo com o grupo e sentiu as represálias sobre o seu comportamento. As regras que regem o comportamento e as maneiras de se conduzir em sociedade podem ser denominadas, segundo Émile Durkheim (1858-1917), como fato social. Considere as afirmativas abaixo sobre as características do fato social para Émile Durkheim. I. O fato social é todo fenômeno que ocorre ocasionalmente na sociedade. II. O fato social caracteriza-se por exercer um poder de coerção sobre as consciências individuais. III. O fato social é exterior ao indivíduo e apresenta-se generalizado na coletividade. IV. O fato social expressa o predomínio do ser individual sobre o ser social. Assinale a alternativa correta.

a) Apenas as afirmativas I e II são corretas.

b) Apenas as afirmativas I e IV são corretas.

c) Apenas as afirmativas II e III são corretas.

d) Apenas as afirmativas I, III e IV são corretas.

e) Apenas as afirmativas I, II e IV são corretas.

Questão discursiva: I) A corrupção. Trata-se de um fenômeno geral, exterior ao indivíduo e coercitivo, impondo-se às vontades individuais. II) Na sociedade em questão trata-se de um fato social considerado normal, por ser frequente, recorrente e tolerado ou aceito pela média dos indivíduos desse grupo. Questão de múltipla escolha: letra C, porque os fatos sociais se impõem aos indivíduos e têm por características principais, segundo Durkheim, a generalidade, a coercitividade e exterioridade.


terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Peça de teatro: ‘O julgamento de Sócrates’



Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói.
Sextas, sábados e domingos, às 20h.
Preço: R$ 50 (inteira).
Classificação: 10 anos.
Telefone: 3674-7515.
De 02 de Março até 17 de março. 

Sócrates defende-se em um tribunal de uma série de acusações que lhe são feitas, em especial ter ideias diferentes do estabelecido pela sociedade e pela religião
Niterói recebe uma livre adaptação do clássico “Apologia de Sócrates”, de Platão, com texto e direção de Ivan Fernandes. A peça “O Julgamento de Sócrates” é interpretada pelo ator Tonico Pereira que, de forma simples e delicada, apresenta ao público a defesa de Sócrates no julgamento em que o condenou à morte por envenenamento. O espetáculo entra em cartaz na próxima sexta, dia 2 de março, no Teatro da UFF, em curta temporada até o dia 17 de março. As apresentações acontecem às sextas, sábados e domingos, sempre às 20h.
A obra celebra as “bodas de ouro” de carreira de Tonico Pereira que, pela primeira vez, se apresenta em um monólogo. E não poderia ter local diferente para a celebração deste momento.
“Faço um balanço desses anos de carreira profundamente positivo, mesmo porque são 50 anos ininterruptos, trabalhando o tempo todo. Me sinto um privilegiado. É excelente ter tido esse tempo não só de carreira, mas de trabalho. Me sinto muito bem em comemorar meus 50 anos de carreira interpretando Sócrates, um homem comum, do povo, como eu me sinto. É uma tarefa que tenho que exercer como ator e, principalmente, como cidadão”, diz Tonico.
Diante da plateia, Sócrates expõe e defende-se em um tribunal de uma série de acusações que lhe são feitas, em especial ter ideias diferentes do estabelecido pela sociedade e pela religião (como o livre pensamento e a busca pelo conhecimento), corrompendo a juventude com essas ideias.
No palco, Sócrates, com figurino neutro e atemporal, defende perante a plateia de “espectadores-jurados” não apenas suas ideias, mas sobretudo o direito de tê-las. Sendo um dos primeiros casos na história da humanidade de uma pessoa ser condenada por ter ideias diferentes do estabelecido pela sociedade.
O filósofo defende a necessidade de examinar a vida do ponto de vista ético e a busca pela sabedoria, sem mencionar a satisfação material. E são nesses conteúdos que está o grande destaque do espetáculo, pela contemporânea e grande relevância de suas palavras para o momento em que vivemos.
“Sócrates está muito perto da minha existência, desde a minha infância, desde a minha formação oralística. Nunca me detive estudando alguém especificamente para um personagem. Meu estudo sempre foi diante da vida que passava por mim, e eu prestando atenção, ouvindo tudo atento. Isso que me forma até hoje e me gabarita, dentro das limitações normais do ser humano. O espetáculo fala de Sócrates, fala de mim, fala dos ‘Sócrates’ que tive em minha vida, como um sapateiro e um professor de teatro. Fala do homem comum, o homem da vida”, garante Tonico. 
A peça é dividida em três partes: na primeira, Sócrates faz sua defesa, na segunda, após a condenação, o filósofo tem o direito de propor uma pena alternativa, mas se nega a fixar uma pena para si mesmo, pois isso seria reconhecer alguma culpa, e, finalmente, após a condenação final, ele diz suas últimas palavras para a sociedade que o condenou, prevendo tempos duros para Atenas e para todas as sociedades posteriores.
“No início da produção do espetáculo, senti uma enorme responsabilidade, tanto que o texto ficou pronto na minha gaveta quase um ano sem que eu tivesse coragem de mostrar. Temia estar sendo pretensioso. Mas, quando reli o texto, ficou muito clara a sintonia com a situação do Brasil atual, e entendi que o espetáculo tinha que ser montado. Em cena, são mostradas as questões essenciais debatidas por Sócrates em seu julgamento: a necessidade de se examinar criticamente a vida; de dar mais valor à sabedoria que aos bens materiais; de procurar a verdade, desmascarar o que é falso”, adianta o diretor Ivan.
“Não se trata de um espetáculo para discutir a Grécia antiga, é o pensamento grego vivo hoje, aplicado ao mundo de hoje”, assegura Ivan.

O Teatro da UFF fica na Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, em Niterói. Sextas, sábados e domingos, às 20h. Preço: R$ 50 (inteira). Classificação: 10 anos. Telefone: 3674-7515. Até 17 de março. 

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Atividades externas e visitas técnicas. Aulas extras e cursos gratuitos com o professor Milton Teixeira





Não há inscrições para os passeios, que são gratuitos



PASSEIO GRATUITO PELO CEMITÉRIO DE SÃO JOÃO BATISTA, EM BOTAFOGO

DIA: 22 DE FEVEREIRO DE 2018, QUINTA FEIRA, DAS 09:00H ÀS 11:00H.

INÍCIO: 09:00H, NA PORTA PRINCIPAL DO CEMITÉRIO DE SÃO JOÃO BATISTA, NA RUA GENERAL POLIDORO, DEFRONTE À RUA SÃO JOÃO BATISTA, EM BOTAFOGO.

FINAL: NO MESMO LOCAL, ÀS 11:00H.

HAVERÁ REPRESENTAÇÃO TEATRAL COM O ATOR TIAGO AZEVEDO.




PASSEIO GRATUITO DA IGREJA DA GLÓRIA DO OUTEIRO ATÉ O CASTELINHO DA RUA DOIS DE DEZEMBRO, PROMOVIDO PELA BAND NEWS RIO FM, CAFÉ EVOLUTO E DELI DELÍCIA

DIA 24 DE FEVEREIRO, SÁBADO, DAS 14:00H ÀS 17:00H.

INÍCIO: 14:00H, NO ALTO DO MORRO DA IGREJA DA GLÓRIA DO OUTEIRO, BAIRRO DA GLÓRIA, ÀS 14:00H.

FINAL: 17:00H, NO CENTRO CULTURAL ODUVALDO VIANA FILHO – CASTELINHO DO FLAMENGO, ÀS 17:00H.




PASSEIO GRATUITO COMEMORATIVO DOS 453 ANOS DA FUNDAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, NO CEMITÉRIO DA ORDEM 3ª. DA PENITÊNCIA, NO CAJU

DIA 1º. DE MARÇO, QUINTA FEIRA, DAS 14:00H ÀS 17:00H.

INÍCIO: 14:00H NA PORTA DO CEMITÉRIO DA PENITÊNCIA – RUA MONSENHOR MANOEL GOMES, 307, CAJU.

FINAL: 17:00H, NO MESMO LOCAL.

PRESENÇA CONFIRMADA DE: ESTÁCIO DE SÁ, ARARIBÓIA, ANCHIETA, NICOLAU DE VILLEGAGNON E OUTROS MORTOS ILUSTRES, RESSUSCITADOS PELO GRUPO TEATRAL CORSÁRIO CARIOCA E PELOS ATORES AREIAS, IZLENE CRISTINA E TIAGO AZEVEDO.

HAVERÁ LANCHE NA CAPELA MORTUÁRIA.



PALESTRA GRATUITA NO HOTEL 55/RIO SOBRE: “PALÁCIOS E POEIRAS – OS ANTIGOS CINEMAS DO RIO”                                                                           

DIA 16 DE MARÇO DE 2018, SEXTA FEIRA, DAS 20:00H ÀS 21:00.

LOCAL: BAR DO 55/RIO HOTEL (ANTIGO HOTEL BRAGANÇA), RUA VISCONDE DE MARANGUAPE 9, TÉRREO, LARGO DA LAPA (DUAS CASAS APÓS A SALA CECÍLIA MEIRELES), ÀS 20:00H.

FINAL: NO MESMO LOCAL, ÀS 21:00H.

PROMOÇÃO: HOTEL 55/RIO HOTEL.

TELS:3883-2030 OU 3798-5699 (APENAS INFORMAÇÕES).

NÃO HÁ INSCRIÇÕES E O EVENTO É GRATUITO – É SÓ APARECER.



PASSEIO GRATUITO COMEMORATIVO DO ANIVERSÁRIO DO POLO COPACABANA + LEME, PELOS PRÉDIOS ART-DÉCO DE COPACABANA ANTIGA

DIA 24 DE MARÇO, SÁBADO, DAS 09:00H ÀS 12:00H.

INÍCIO: 09:00H, NA RUA FERNANDO MENDES, COPACABANA.

FINAL: 12:00H, NA CHURRASCARIA “CARRETÃO DO LIDO”, SITO Á RUA RONALD DE CARVALHO, 55, PRAÇA DO LIDO, COPACABANA.




PASSEIO GRATUITO PELO MORRO DA CONCEIÇÃO ATÉ O CAIS DO VALONGO PROMOVIDO PELA RÁDIO BAND NEWS FLUMINENSE FM, CAFÉ EVOLUTO E DELI DELÍCIA

DIA 24 DE MARÇO, SÁBADO, DAS 14:00H ÀS 17:00H.

INÍCIO: DEFRONTE À IGREJA DE SANTA RITA DE CÁSSIA, SITA NO LARGO DE SANTA RITA, ENTRE AVENIDA MARECHAL FLORIANO, RUAS VISCONDE DE INHAÚMA E MIGUEL COUTO, CENTRO.

FINAL: CAIS DO VALONGO, SITO À AVENIDA BARÃO DE TEFFÉ, SAÚDE, ZONA PORTUÁRIA, CENTRO.




PASSEIO GRATUITO PELO CEMITÉRIO DE SÃO JOÃO BATISTA, EM BOTAFOGO

DIA: 29 DE MARÇO DE 2018, QUINTA FEIRA, DAS 09:00H ÀS 11:00H.

INÍCIO: 09:00H, NA PORTA PRINCIPAL DO CEMITÉRIO DE SÃO JOÃO BATISTA, NA RUA GENERAL POLIDORO, DEFRONTE À RUA SÃO JOÃO BATISTA, EM BOTAFOGO.

FINAL: NO MESMO LOCAL, ÀS 11:00H.

HAVERÁ REPRESENTAÇÃO TEATRAL COM O ATOR TIAGO AZEVEDO.


Não há inscrições para os passeios, que são gratuitos.

Mais informações em: 2532-5569, 2527-9129, 99952-2789 ou miltur@gbl.com.br






CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO (não é gratuito)

INÍCIO: MARÇO DE 2018 – AULAS SEGUNDAS E QUARTAS FEIRAS, NO HORÁRIO DA NOITE, DAS 18:30H ÀS 21:30H.

LOCAL: INSTITUTO VENTURO – AVENIDA ALMIRANTE BARROSO 6, SALA 307 – LARGO DA CARIOCA, CENTRO.

PROMOÇÃO: INSTITUTO VENTURO –TEL: (0XX21) 2532-5569.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: O CURSO NÃO É GRATUITO.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Próxima atividade. Visita à exposição Conflitos: fotografia e violência política no Brasil


Foto: Flávio de Barros. Guerra de Canudos.
 Prisão de jagunços pela cavalaria Canudos, BA 1897. 
Acervo do IMS Museu da República



A exposição: Conflitos: fotografia e violência política no Brasil 1889-1964 contradiz a imagem do Brasil como país pacífico e oferece um olhar sobre a história nacional que colabora na compreensão da atual crise política. Com curadoria de Heloisa Espada, a exposição apresenta 338 imagens e fica em cartaz no IMS Rio de 25 de novembro de 2017 a 25 de fevereiro de 2018.


Com um panorama de imagens de guerras civis, revoltas e outros episódios de confronto envolvendo o Estado brasileiro, Conflitos aborda o papel das imagens fotográficas nesses eventos, seu uso político e suas formas de circulação. São trabalhos de autores conhecidos, como Juan Gutierrez e Flávio de Barros, e de inúmeros anônimos, amadores ou profissionais, nos mais diversos suportes, montando um painel heterogêneo sobre as práticas fotográficas no Brasil.



VISITAÇÃO
Entrada gratuita
De 25 de novembro de 2017 a 25 de fevereiro de 2018

Terças a domingos e feriados (exceto segundas), das 11h às 20h.

IMS Rio
Rua Marquês de São Vicente, 476
Gávea - Rio de Janeiro/RJ.






terça-feira, 14 de novembro de 2017

Próxima atividade. Debate: “Síria em Fuga”

Documentário indicado ao Emmy Internacional.


Artista indiano Sudarsan Pattnaik construiu uma escultura de areia 
em homenagem ao garoto sírio de três anos, Aylan Kurdi. 
O trabalho foi feito em Puri Beach, no estado de Orissa, na Índia. 
Tem uma mensagem que diz: "vergonha, vergonha, vergonha ...


Ao longo de quase 5 anos de guerra civil, um terço da população síria teve que abandonar as casas para fugir da violência que já provocou cerca de 200 mil mortes. O documentarista Gabriel Chaim entrevistou o pai do menino Alan, que morreu afogado na tentativa de chegar à Europa, e documentou a destruição em Alepo, a segunda maior cidade da Síria.

São 6,5 milhões de pessoas deslocadas. Gente que foi para outras regiões do próprio país, ou fugiu para o exterior. Muitos dos que ficaram pegaram em armas. O documentário “Síria em Fuga” revela imagens e personagens impressionantes dessa tragédia.

Chaim mostra o centro histórico destruído e transformado em front, colhe depoimentos de rebeldes que lutam contra o governo de Bashar Al-Assad e contra o Estado Islâmico, e ouve testemunhos como o de um médico dedicado a atender os rebeldes feridos em combate – que, considerado subversivo, teve a casa atacada pelas forças do regime. Esse médico morreu durante a edição do programa, vítima de um bombardeio, no dia 14 de novembro. Registra ainda o sofrimento das crianças com a guerra.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Ciência Política. Datas e resumo do plano.





Contextualização

A disciplina Ciência Política, em uma perspectiva interdisciplinar com a História, a Sociologia, a Antropologia Social e a Filosofia Política, procura tornar evidentes as normas que se instauram como princípios de governança, revelar as razões que as instituem e medir seus efeitos sobre o estado das sociedades. Em nosso curso a disciplina de Ciência Política mantém permanente diálogo principalmente com as seguintes disciplinas: História do Direito Brasileiro, Fundamentos das Ciências Sociais, Sociologia Jurídica e Judiciária, Filosofia Geral e Jurídica, Direito Constitucional e Direito Internacional. Dessa maneira, são estudados os comportamentos dos atores políticos em função e sua identidade e de seus engajamentos, bem como os modelos teóricos que fundamentam e referenciam a ação política e seu cotejamento pelos analistas. Além disso, a disciplina busca apontar os fatores que contribuem para uma reconfiguração dos quadros teóricos que fundamentem as realidades emergentes, enquanto, dialeticamente, também contribuem para a construção de novos parâmetros dinamizadores do processo de transformação das relações políticas.

Ementa
A política, as relações de poder e o papel do discurso na construção da vontade coletiva. Estado: principais linhas teóricas sobre sua origem (naturalistas, contratualistas, coletivistas e a do Estado de Direito); seus elementos essenciais (território, povo e soberania); suas possíveis formas (unitária e federal). Governo: suas formas (monarquia e república); seus sistemas (presidencialista e parlamentarista); seus regimes (democráticos e autocráticos). Estado Constitucional: evolução; realidade; atuais desafios.

Objetivos gerais
Relacionar política com poder e discursividade. Conhecer o conceito de Estado e seus elementos. Analisar o conceito de governo e suas perspectivas (forma, sistema e regime). Estudar o Estado Constitucional a partir de suas bases históricas. Analisar as transformações do ente estatal na contemporaneidade.

Objetivos específicos
Analisar as estruturas e as articulações do discurso político; Compreender a ação política em relação às suas finalidades pragmáticas e aos seus efeitos; Compreender o fenômeno estatal em suas diversas perspectivas; Promover correta utilização da terminologia política da Ciência do Direito; Utilizar o raciocínio jurídico-político, argumentativo e persuasivo para refletir criticamente sobre a realidade política na qual se está inserido.

Conteúdos
UNIDADE I - SOCIEDADE POLÍTICA E A ORIGEM ESTADO
Capítulo 1. A política e o poder
1.1 - A política e as relações de poder
1.2 - a ciência política e seu objeto de estudo
Capítulo 2. Principais linhas teóricas sobre a origem do Estado
2.1 - As teorias naturalistas
2.2 - As linhas Contratualistas
2.2.1 - Hobbes e a fundamentação do Estado absolutista
2.2.2 - Locke a fundamentação do Estado liberal
2.2.3 - Rousseau e a fundamentação do Estado democrático-plebiscitário
2.3.1 - Teorias Coletivistas
2.3.2 - Teoria do Estado de Direito: a concepção jurídica do Estado
UNIDADE II - OS ELEMENTOS ESSENCIAIS DO ESTADO
Capítulo 3. Território: a delimitação espacial do poder
3.1 - o território e seu caráter multidimensional
3.2 - o território e o poder de império do Estado
3.3 - o conceito atual do elemento território
Capítulo 4. Povo: traços característicos e distintivos
4.1 - o conceito de povo em seu sentido jurídico-político
4.2 - a diferenciação entre os conceitos de povo e população
4.3 - o conceito de nação a partir da análise de povo
Capítulo 5. Soberania: o império estatal e sua base de sustentação
5.1 - evolução histórica do conceito
5.2 - legitimidade e legalidade como fundamento da soberania estatal
UNIDADE III - ESTADO E GOVERNO SEGUNDO SEUS TIPOS CLÁSSICOS
Capítulo 6. Formas de Estado
6.1 - O Estado Unitário
6.2 - O Estado Federal
6.2.1 - a distinção entre federação e confederação
6.2.2 - a distinção entre as versões brasileira e americana do federalismo
Capítulo 7. Formas de Governo
7.1 - Aristóteles e Maquiavel na base das formulações contemporâneas
7.2 - características fundantes da república e da monarquia
Capítulo 8. Sistemas de Governo
8.1 - características do parlamentarismo
8.2 - características do presidencialismo
Capítulo 9. Regimes de Governo
9.1 - O regime democrático
9.1.1 - A democracia dos antigos e a democracia dos modernos
9.1.2 - A democracia: em busca de critérios definidores
9.2 - Os regimes autocráticos
9.2.1 - Os regimes autoritários
9.2.2 - Os regimes totalitários
9.2.2.1 - O Fascismo
9.2.2.2 - O Nazismo
9.2.2.3 - O Stalinismo
9.3 - O Socialismo e o Comunismo
UNIDADE IV  A POLÍTICA, O DISCURSO E O ESTADO CONSTITUCIONAL
Capítulo 10 O Discurso político e seu papel na formação do Estado Moderno.
10.1 - o papel do discurso na construção da vontade coletiva
10.2 - O Estado: a busca de uma definição
Capítulo 11. Evolução do conceito de Estado Constitucional e seus atuais desafios
11.1 - O Estado Constitucional de Direito e sua gênese com o Estado Liberal
11.1.1 - a superação do governo dos homens pelo governo das leis
10.1.2 - a liberdade como valor primordial e o Estado Mínimo
11.2. O Estado Social: o welfare state e a crise do Estado liberal
11.2.1 - características do welfare state
10.2.2 - a crise do welfare state no mundo globalizado
11.3 - O Estado Pluricultural e o (novo) equilíbrio na divisão de poderes
11.3.1 - O Estado neoconstitucional e o (novo) equilíbrio na divisão de poderes
11.3.2 - Os Direitos Humanos e a relativização do conceito de soberania
11.3.3 - As funções estatais em face do pluralismo e do multiculturalismo
11.3.4 - O Estado e a Globalização
11.3.5 - O Estado e sua fragmentação quantitativa e qualitativa

Procedimentos de avaliação
No curso a avaliação se dá de forma continuada. Isto é, antes de cada aula o estudante deverá solucionar os casos concretos que se encontram na webAula da disciplina e postar suas respostas no ambiente online. Após a revisão e autocorreção, o estudante deverá refazer a análise do caso concreto, no ambiente WebAula, acrescentando citações doutrinárias e jurisprudenciais. O conjunto dos trabalhos práticos realizados ao longo do período valerão até 1,0 (um) ponto na AV1. As AV1, AV2 e AV3 serão realizadas através de provas escritas, valendo, no mínimo, até 9,0 (oito) pontos, contendo questões objetivas e discursivas, sendo, ao menos uma das questões, um caso concreto para análise e resolução. A soma de todas as atividades (provas escritas e resolução dos casos aula a aula) comporão o grau final de cada avaliação, não podendo ultrapassar o grau máximo de 10 (dez), sendo permitido atribuir valor decimal às avaliações. A AV1 contemplará o conteúdo da disciplina até a sua realização, incluindo o das atividades estruturadas, nas disciplinas que as contenham. As AV2 e AV3 abrangerão todo o conteúdo da disciplina, incluindo o das atividades estruturadas. Para aprovação na disciplina o aluno deverá: 1. Atingir resultado igual ou superior a 6,0, calculado a partir da média aritmética entre os graus das avaliações, sendo consideradas apenas as duas maiores notas obtidas dentre as três etapas de avaliação (AV1, AV2 e AV3). A média aritmética obtida será o grau final do aluno na disciplina. 2. Obter grau igual ou superior a 4,0 em, pelo menos, duas das três avaliações. 3. Frequentar, no mínimo, 75% das aulas ministradas.

Bibliografia básica
GÓES, Guilherme Sandoval; LIMA, Marcelo M.C. Ciência Política. 1ª ed. Rio de Janeiro: SESES, 2015.
DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de teoria geral do Estado. . ed. São Paulo: Saraiva, 2010
STRECK, Lenio Luiz; MORAIS, José Luis Bolzan de. Ciência Política e Teoria Geral do Estado. 3ª ed. Porto Alegre: Editora Livraria do Advogado, 2003.

OFICINAS DE LEITURAS, DEBATES, PALESTRAS E VISITAS TÉCNICAS

1 - A “uberização” e as encruzilhadas do mundo do trabalho Data: Terça-feira, 10 de outubro de 2017 Fonte:http://www.ihuonline.unisin...